Seja você o centro de uma rede de soluções!

Você é o centro de sua rede!

Foque em si mesmo!

Tim – Um exemplo de centro de rede

Imagine uma pessoa qualquer, a chamaremos inicialmente de “Tim”, em alusão a  palavra inglesa Team que significa equipe, ou Tem que significa Dez , entre para a plataforma da Fundação 10 Envolver participe apenas de um grupo e terá acesso direto a 10 pessoas, ou pode ser que Tim resolva participar de 10 grupos diferentes  e nesse caso estará em contato com 100 pessoas. Então ao entrar para a plataforma  Tim estará em contato direto entre 10 a 100 pessoas no 1o nível.

Centro da Rede

Mas cada pessoa do grupo de Tim também poderá participar de 1 a 10 grupos diferentes, e para cada pessoa se repetirá a mesma lógica que ocorre com Tim e cada um terá contato direto no 1o nível entre  10 a 100 pessoas.

Ao entender o funcionamento e começar a interagir com o grupo Tim percebe que no 2o nível da sua rede ou seja os “Amigos dos Amigos” é constituído por 10 a 100 grupos e que ele terá contato indireto no 2o nível entre 100 e 1.000 pessoas, e na mesma lógica na rede de 3o nível terá possibilidade de acesso  entre 1.000 e 10.000 pessoas.

Grupo de grupos

Tim descobre que dentro de um  rede  com aproximadamente 1.000 pessoas qualquer necessidade sua poderá ser atendida, e que além dessa, oportunidades maiores poderão facilmente serrem aproveitadas se sua rede de contatos chegar ao 3o nível, e que projetos maiores poderão ser desenvolvidos e rapidamente expandidos caso a rede que participa se projete a níveis superiores.

E para isso ocorrer basta que Tim comece pedindo a um membro de seu grupo para apresentá-lo a alguém que está no 2o nível, ou que esse repasse as necessidades de Tim aos conhecidos do outro grupo, e que novas possibilidades vão surgir em níveis superiores pois a plataforma permitirá encontrar pessoas, grupos ou redes que possuam perfil semelhante e que estão dispostas a se unir para fortalecer uma posição ou que possuam perfis complementares e que também estão dispostas a se reunirem para juntas gerarem uma solução que isoladamente seria muito difícil.

Foque na sua habilidade e delegue a sua dificuldade

Rede de Contatos

Como cada rede terá um tema central ou um objetivo mais generalizado então essa rede passa a ter maior eficácia, dentro dessa rede cada grupo ou sub rede poderá dividir o tema central em tópicos secundários que estarão  associados ao tema central, então essa sub rede terá metas específicas do objetivo e atuará de forma mais eficiente.

Quando as pessoas se unirem em grupos, e a partir desses grupos se reunirem em redes, formarão verdadeiras cadeias de produção pois o conjunto terá a capacidade de  empresas de grande porte e ao mesmo tempo terá a flexibilidade e agilidade de uma empresa de pequena porte, tendo como resultado uma alta efetividade.

Qualquer tipo de trabalho, desde um serviço braçal de um trabalhador informal até linhas de produção de grandes indústrias tem suas atividades definidas em três níveis que são: Estratégicas, ligadas aos objetivos de longo prazo aonde são tomadas as decisões e apontadas as direções; atividades táticas ligadas as metas de médio prazo e aonde são definidas as métricas de alinhamento e correção do curso; e atividades operacionais ligadas as ações diárias e produtividade mensal.

Eficácia do grupo, eficiência da rede, e efetividade do sistema

Eficacia X Eficiência X Efetividade

Dificilmente uma pessoa  será boa nos três níveis e mais difícil ainda será essa pessoa ter domínio de várias atividades diferentes, ao se unirem em grupos, a plataforma terá ferramentas de avaliação que farão naturalmente com que cada pessoa se destaque naquilo que é o seu melhor potencial, então haverá no grupo líderes de atividades, pois uma pessoa será boa em “fazer“, outra pessoa em “comprar“, já uma terceira pessoa em “vender“. Ao se organizarem a produtividade do grupo será muito maior pois “O todo é maior que a soma das partes como diria o sábio Aristóteles”.

Igualdade de oportunidades numa rede tipo malha e hierarquia de lideranças numa rede tipo piramide

Aqui há um fator bem interessante, a estrutura da rede se observada sob um determinado ponto de vista, será hierarquizada por assunto ou tema, e em cada nível haverá uma liderança que chegou lá naturalmente como consequência da própria capacidade de atuação devido ao sistema de avaliação e mensuração que será ensinado a todos os participantes, daí a necessidade de participar do treinamento das regras de grupo.

Uma pessoa poderá ou não exercer uma atividade do tipo estratégica (direção – decisão), na mesma rede poderá ou não exercer uma atividade do tática (gerência – coordenação), e em outro tipo de atividade terá de exercer uma atividade do tipo operacional (ação – execução), ou seja a liderança não  está  na pessoa como um todo mas apenas na habilidade da pessoa para um determinado tipo de atividade, isso valerá de um grupo com 10 pessoas até uma rede com dezenas, centenas ou milhares de grupos.

Seja você o centro de sua rede!

Alvo - Você no centro

E como cada pessoa poderá participar de 10 grupos diferentes isso significa que ela estará em redes que tratam de temas distintos ou assuntos diferentes, portanto ao focarmos na rede sob um ponto de vista, se numa estrutura conceitual, ligado aos objetivos do grupo, teremos uma estrutura hierárquica em forma pirâmide, ao mudarmos a forma de avaliar, e olharmos do ponto de vista físico teremos uma estrutura amplamente distribuída em forma de malha estando todos no mesmo plano, ao fazermos essa analise descobrimos que qualquer pessoa é o centro de sua rede, portanto a mesma terá tantos resultados quanto for capaz de expandir sua rede pessoal,  ou terá tantas oportunidades quanto tiver habilidade para entrar e participar de outras redes já formadas. Quanto maior uma rede, mais oportunidade gerará e mais pessoas atrairá, crescendo cada vez mais de forma exponencial.

Exemplo de funcionamento: Rede de confecção local

A título de exemplo, descreveremos como uma rede simples poderá surgir e crescer.

Imagine um bairro com várias costureiras com pouco serviço cada uma, e várias pontos de comércio que poderão ser vendedoras ambulantes, lojas de roupas, armarinhos, lojas de tecidos e material para confecção, todos com suas atividades bem abaixo da média devido a recessão econômica e pouco capital devido á crise financeira.

Caso essas pessoas se associem tendo no grupo uma estilista, algumas  vendedoras ou lojas, e algumas costureiras poderão sem capital financeiro começar um negócio bem maior, utilizando apenas mão de obra especializada e o excedente de tempo útil disponível como moeda de troca.

A estilista desenhará alguns modelos de roupas, a loja de tecidos cederá matéria prima ou na falta dessa a loja de roupas adiantará uma pequena quantia para compra de matéria de prima, e as costureiras vão se organizar de acordo com seu melhor perfil, uma somente cortará, a outra costurará, uma fará os acabamentos e entregará a produção para os pontos de venda. A medida que a loja vender pagará um percentual da venda, ou repassará uma parte do lucro da peça aos demais participantes do grupo.

E o grupo como um todo terá uma linha de produção, uma espécie de confecção virtual, permitindo com que as lojas tenham maior quantidade e variedade de produtos diminuindo a necessidade de capital de giro. O resultado  proporcionará que a estilista tenha uma renda maior, e as costureiras tenham maior quantidade de trabalho e de rendimento. Na prática será como montar uma indústria virtual, existe uma linha de produção que gera receitas e ativos físicos, mas não existe uma cara e pesada infra estrutura física que gera débitos e passivos trabalhistas ou contábeis.

No exemplo citado acima há uma possibilidade de diferencial que merece ser destacado pois dificilmente uma grande confecção, ou uma fábrica em região distante conseguirá os benefícios citados a seguir. A agilidade da linha de produção pelo fato de ser pequena, aliada a proximidade com o mercado consumidor permitirá os seguintes ganhos:

  • Produção sob demanda. Reposição apenas na medida que as peças vão saindo, evitando o risco de estoque encalhado.
  • Diversificação. O estilo ou detalhes das peças poderão mudar rapidamente conforme tendências ou gosto do cliente. Saiu na novela num dia, no dia seguinte estará na vitrine.
  • Fidelização. A roupa poderá ter uma etiqueta da loja, como se fosse uma confecção própria.
  • Customização. Se necessário um ajuste na roupa poderá ser feito fácil e rapidamente.
  • Qualidade. Dar garantia ao cliente caso haja problema a roupa será consertada rapidamente
  • Personalização. As roupas poderão ser feitas sob medida para o cliente.
  • Exclusividade. Uma cliente poderá encomendar uma roupa com um detalhe específico a seu próprio critério, tornando-a peça única
  • Encomendas. Fabricar uniformes customizados para restaurantes, padarias, lanchonetes, etc.
  • Parcerias. Para produção de uniformes escolares
  • Preço justo. Adequado a realidade da região, sendo que poderá ser mais barato para o consumidor e com maiores lucros para o grupo por trás da logística

Dificilmente as grandes indústrias, redes de lojas, ou confecções de outras regiões conseguirão atender ao conjunto de características descritas acima. No exemplo citado, o ganho da produção em larga escala foi substituído pela inteligência da logística em grupo que melhor aproveita os recursos disponíveis e a mão de obra local.

Outras sugestões

Troque a ideia da confecção de roupas por construção civil com pedreiros, pintores, marceneiros e um engenheiro e terá uma pequena construtora ou empresa de reformas.

Troque o exemplo citado por artesãos que fabricam calçados ou bijuterias, Etc.

Rede de logística

Esses exemplos de negócios em parceria são apenas uma demonstração das possibilidades que poderão ser desenvolvidas ou oportunidades descobertas na plataforma da Fundação 10 Envolver.

Próximos passos

Para ter acesso e começar a usufruir dos recursos e começar a produzir serão necessários poucos passos fáceis e simples:

  1. Se cadastrar na plataforma e participar do treinamento das regras de grupo;
  2. Cadastrar as atividades que poderá ofertar e as necessidades que precisa suprir;
  3. Registrar o CEP para encontrar pessoas próximas e um celular para contato;
  4. Criar grupos e convidar amigos, familiares e parceiros;
  5. Pesquisar grupos já formados e pedir acesso.

Reúna-se em grupos e desenvolva-se em redes. Simples assim.

Seja você o centro de desenvolvimento da sua região.

Juntos. Todos por um – Um por todos

Prof. Paulo Morais
Prof. Paulo Morais

Eu Acredito em Você – Acredite também
Mentor e Coach de vida pelo Instituto Crê Ser
Coach Executivo pela PM Coaching e Mentoring

Tópicos importantes

Uma visão geral da plataforma, bem como benefícios, operação, objetivos e os recursos disponíveis estão nos 10 textos a seguir, você poderá lê-los em sequência ou pular direto para o tópico que mais lhe interessa

One Pingback

Faça uma comentário - Poste sua dúvida - Deixe uma resposta.

Prof. Paulo Morais
  • Prof. Paulo Morais
  • Master Coach Executivo e de Negócios pela PM Coaching
    Life Coaching em Qualidade de Vida, Saúde, Bem Estar e Autoestima pelo ICS
    Consultor e Mentor em TIC - Tecnologias da Informação e da Comunicação pela PsM Gestão Tecnológica
    Coach e Mentor de Satart UPs pelo programa Inovativa - MCT / Sebrae

%d blogueiros gostam disto: